Recuperando delineador em gel

Olá, meninas, tudo bem?

Hoje eu quero dar duas dicas… uma consequência da outra.

Vamos partir do princípio… desde o início da ‘onda’ dos delineadores em gel (em pasta, em creme…) eu queria um pra mim. Não para o uso comum do delineador, com o traço na pálpebra superior ou inferior, mas sim para utilizá-lo na linha d’água, substituindo o lápis, já que a duração do delineador em gel é infinitamente maior.

Mas eu confesso, tinha dó de gastar uma pequena fortuna em um Fluidline da MAC (para quem não conhece, esse é o nome do delineador em gel da famosa MAC).

Logo entrei no site da Juliana, do Vivo Maquiada, e corri atrás de um delineador em gel. Comprei um da Elf (marca pouca conhecida aqui no Brasil, e meio difícil de encontrar, mas que eu recomendo muito. Tem produtos baratinhos e muito bons). Foi o suficiente para eu me apaixonar pelos delineadores em gel e passar a utilizá-los também para o traçado na pálpebra.

Louca para ter um de cada cor, comprei outros na mesma loja. Primeiro os da Amuse. E depois uns ‘sem marca’, mas que vem iguaizinhos aos da Coastal Scents, na mesma caixinha e tudo. E me apaixonei ainda mais. As cores eram lindas, a textura maravilhosa e a durabilidade incrível, em ambos (Amuse e ‘sem marca’).

Mas eu queria mais… e queria algumas cores que estavam esgotadas com a Juliana. Como o fornecedor dela atrasou um pouco para mandar os produtos (a desesperada, oi), eu corri atrás de comprar uns da tão falada Coastal Scents. E aí veio a decepção… e me desculpem as apaixonadas por essa marca.

Quando chegaram, tudo estava lindo… Embora eu tenha achado que os potinhos da Coastal Scents são meio ‘engana trouxa’. Grandes por fora, e pequenos por dentro. Não vem quase nada de produto. Mas tudo bem… usei, a durabilidade também é ótima, as cores são lindas… fiquei feliz.

Uma semana depois fui utilizar novamente um da Coastal Scents e ele estava totalmente seco. Abri outra cor da marca, seco. E assim foi até o último que eu havia comprado. Desesperada, peguei os potinhos ‘sem marca’, os da Amuse e o da Elf, que comprei com a Ju, e para minha surpresa, nenhum deles estava seco.

Vale lembrar que todos eles são guardados da mesma forma, no mesmo lugar, e que os da Coastal Scents haviam sido comprados bem depois. Logo, não deveriam estar ressecados em uma semana.

Comecei uma saga a fim de encontrar uma solução para ‘recondicionar’ os delineadores. Vi de tudo e mais alguma coisa… Banho maria, soro, glicerina, vaselina líquida para cosmético… Tentei quase tudo.

O soro fisiológico, assim como água mineral ou água boricada (algumas das dicas que encontrei) não se mistura com o delineador. É como tentar misturar água e óleo. Sem sucesso.

Glicerina e vaselina não me pareceram substâncias muito seguras para algo que você vai utilizar nos olhos. Abortei a ideia.

Banho maria… Dá um trabalho razoável, faz uma meleca, e funciona… por alguns dias. Se você tiver paciência para fazer isso a cada três dias ou sempre que for utilizar o delineador, vale o sacrifício.

É fácil… você pega um pote, frasco, travessa de vidro, e coloca água fervente (não adianta ser quente, tem que estar fervendo mesmo). Depois, coloca os potinhos de delineador fechados dentro do pote, de forma que o ‘bumbum’ e o corpo do potinho, onde você consegue ver o delineador, fiquem submersos na água. Tome o cuidado de não deixar a água entrar no frasco. Deixe lá por 15 a 20 minutos (quanto mais quente estiver a água melhor, pois assim os potinhos ficarão mais tempo em contato com a água quente).

Retire os delineadores, abra o potinho, e com auxílio de um palito de dente, mexa e misture bem o delineador. Se você perceber que ainda não ficou na textura que deveria, faça o processo novamente. Faz meleca, bagunça e sujeira. Nada de fazer em cima do tapete ou do caminho de mesa de crochê da sua mãe (risos).

Como dito, três dias depois eu fui lá feliz e contente usar o meu delineador da Coastal Scents e de novo ele estava duro e ressecado.

Já prestes a jogá-los no lixo resolvi testar algo da minha cabeça louca. Comecei a pensar em todos os produtos de maquiagem que tinham a textura parecida com o delineador em gel, até cair no gloss labial.

E não deu outra… lá estava eu testando a ‘mistureba’ para ver no que dava. E deu certo. Faz meleca também, em alguns momentos eu podia jurar que estava mexendo n’A Coisa’ (quem tiver nascido no final dos anos 70, início dos 80, vai se lembrar do filme recorrente na ‘Sessão das Dez’ do SBT… risos), mas funciona. É só colocar um pouco do gloss no potinho do delineador e mexer bem com o palito de dente, até o gloss se incorporar no delineador e ele atingir a consistência que você quer.

Atenção: precisa ser gloss labial incolor e sem sabor, hein, meninas? Nada de usar aqueles gloss com brilhinho furta-cor e sabor de morango ou do que quer que seja. E, depois dessa meleca, não é aconselhável o uso deles na linha d’água. Nada de passar na linha interna dos olhos pois pode causar alergia. E, de qualquer forma, faça um teste num pedacinho da pálpebra antes. O que não causou nenhuma reação na minha pele e nos meus olhos, pode trazer problemas para outra pessoa. Cada caso é um caso.

Mas… e a durabilidade? Igualzinha, meninas. Fiz o teste aqui, passei às 11h da manhã, e quando era 18h o delineador continuava lá, firme e forte, sem derreter, borrar, nem nada.

Eu usei o gloss labial incolor da Avon. Não sei dizer se funciona com qualquer marca. É o que está na foto lá no início do post e é vendido como Avon Glazewear Brilho Labial Incolor FPS 15. Ele está custando R$ 16,00 na Campanha 09/2012 aqui para São Paulo. O preço pode ser diferente de acordo com a campanha vigente e a região onde você se encontra, ok?

Vejam como ficaram os delineadores recuperados:

Acho que dá pra perceber pela foto que eles estão bem cremosos. Os que deram mais trabalho (leia-se: precisaram de uma quantidade maior de gloss) foram os dois últimos, que são metálicos, o turquesa e o prata.

E bem… essa foi a primeira dica.

A segunda é: quando quiserem um delineador em gel que vocês precisem que dure bastante, comprem esses que a Ju vende no Vivo Maquiada. Sério. Eu não os troco por nada e não quero mais os da Coastal Scents. Já fiz outra compra no site da Juliana, peguei todas as cores que ela tinha, e estou esperando ela receber mais um estoque para completar minha coleção.

Ficam aqui os links diretos para as páginas de delineadores em gel do site:

Clique aqui para ver todos os delineadores. Aqui para ver os delineadores da Amuse. Aqui para ver o delineador da Elf. E aquipara ver as cores do delineador ‘sem marca’.

E para quem não conhece a loja ainda, dê uma olhadinha. Tem produtos muito legais com um preço super bacana. E se algo estiver esgotado, é só conversar com ela por e-mail. Se for possível, ela encomenda, te avisa quando chegar, e você só paga quando ela receber o produto.

E vocês, meninas? Já tiveram esse desgosto com os delineadores? Não se esqueçam de comentar! 🙂

Beijinhos e até o próximo post.

Maquiagem: 12) Acessórios

Para (quase) finalizar os posts com as noções básicas sobre maquiagem, vou falar um pouquinho dos acessórios que usamos para fazer uma maquiagem impecável.

Os pincéis fazem parte desse ‘arsenal’, mas como existem muitos, com diversas finalidades, eu preferi separá-los para fazer um post mais completo, apenas sobre pincéis, na semana que vem. Será um post (ou uma sequência de posts, ainda não decidi) um pouco extenso, e tentarei explicar sobre os tipos de pincéis com mais detalhes e com várias fotos de pincéis de diferentes marcas e preços.

Por enquanto, vamos falar dos outros acessórios.

Apontador

Imprescindível para manter seus lápis (principalmente os para o contorno dos lábios e dos olhos) sempre com a ponta regular.

O curinga é do tipo “dois em um”: serve para lápis de boca e de olho. Pena que muitas marcas saem do padrão e exigem apontador próprio para seus produtos.

Se for possível, sempre teste antes de comprar.

Para os lápis com espessura comum, não é necessário ser um apontador específico de maquiagem. Qualquer apontador de lápis comum serve. Para testar, você pode inclusive usar um lápis comum também, para não gastar o seu lápis de maquiagem. Escolha aquele que seja o mais macio possível, ao girar o lápis. Aqueles apontadores que ‘engasgam’ quando você gira o lápis dentro deles não servem.

Hastes Flexíveis e Algodão

Tanto as hastes flexíveis (mais conhecidas como ‘Cotonete’, devido à marca mais vendida), quanto as bolinhas ou discos de algodão podem ser usados para esfumar o blush e a sombra, fazer pequenas correções e também remover a maquiagem no final do dia.

Também servem pra remover o delineador quando ele não foi aplicado da maneira certa, corrigir o contorno dos lábios, retirar o excesso de rímel, aquele batom que foi além do contorno, o excesso de pó nos sulcos do nariz, e consertar outros errinhos cometidos durante a maquiagem.

A Prada tem uma caixinha de hastes flexíveis especiais para maquiagem (veja na foto ao lado). De um lado eles tem uma ponta bem fininha, do outro lado são ‘achatadinhos’, como se fosse um pincel de sombra daqueles com esponjinha. É meio difícil de encontrar esses cotonetes aqui em São Paulo, mesmo online. Se não estiver enganada, vi na Sumirê quando passei por lá, mas não tenho certeza. Acabei encontrando online na Laffayette (de Curitiba) essa semana, e até comprei uma caixinha pra mim. Paguei R$ 7,90. A embalagem vem com 80 unidades, mudou um pouquinho e agora as hastes são branquinhas, ao invés do rosa da foto.

Esponjas

Redondas ou triangulares, de espuma ou de látex, elas são necessárias para aplicar a base, pancake ou pó.

Reserve uma para base ou pancake e outra exclusivamente para o pó.

Pinças

Um artefato que vale a pena passar por teste, antes de parar distraidamente na sua sobrancelha e destruir o traçado. Da próxima vez que alguém for viajar para outro hemisférios, encomende uma ótima pinça. Você vai ver que estava usando um quebra-galhos.

Eu, particularmente, recomendo a pinça da Mac. Não sou fanática por marcas estrangeiras e prefiro sempre comprar produtos nacionais, até porque são mais em conta. Mas a pinça da Mac é uma coisa enlouquecedora. Tem a ponta em diagonal, arranca até o pelinho mais curto e difícil de sair, não fere a pele, e dura muito tempo com a mesma ‘pegada’, se você cuidar direitinho. Atenção para não deixá-la cair no chão. Se a ponta bater em um piso duro (que não seja carpete, ou um tapete, por exemplo), vai amassar e não vai mais funcionar da mesma forma. Único inconveniente é o preço, salgado. Última vez que eu comprei, em Dezembro de 2010, paguei R$ 152,00 (diretamente na loja aqui em São Paulo. Se você tiver algum contato que possa enviar ou trazer para você do exterior, o preço é bem mais em conta).

Curvex

Uma engenhoca utilizada para deixar os cílios mais curvados.

Assim como a história da ordem da base e do corretivo (o que aplicar primeiro e o que aplicar depois), há controvérsias sobre usar o curvex antes ou depois da aplicação do rímel. Hoje em dia, a maior parte dos maquiadores dizem que ele deve ser usado antes do rímel, pois se for utilizado depois pode ‘guilhotinar’ os fios.

Duda Molinos, no entanto, um dos melhores (se não O melhor, na minha opinião) maquiadores do mundo, diz em seu livro que ele deve ser usado depois da aplicação do rímel.

Eu já utilizei das duas formas, meus cílios nunca foram ‘guilhotinados’ por causa disso, mas eu ainda prefiro usar o curvex antes do rímel. Depois dele, a impressão que dá é que a borrachinha do aparelho ‘gruda’ todos os cílios onde ela encostar e a aparência fica meio estranha.

Portanto, escolha a melhor forma para você. E se for aplicar o rímel e usar o curvex depois, saiba que, segundo o que se lê por aí, existe o risco de ‘guilhotinar’ os seus cílios.

Antes ou depois do rímel, você deve encaixá-lo nos olhos e, segurando firme, fechar com cuidado, no máximo uns 15 segundos. Ou então (forma que eu uso e vejo mais resultado), apertar um pouquinho e soltar várias vezes. Se seus cílios forem bem longos, você pode ir ‘caminhando’ com o curvex conforme faz isso. Ou seja, coloca o curvex bem próximo à raiz dos cílios, aperta um pouquinho o curvex, abre o curvex, desce um pouquinho para o meio dos cílios, aperta de novo, solta o curvex, vai até mais próximo das pontas, aperta de novo. ‘Pel’amor de Deus’ não me vão segurar o curvex e puxar ele em direção às pontas com ele fechado, hein? Vocês vão arrancar os cílios dessa forma!

Mantenha sempre limpo e verifique se a borracha está no lugar certo, para não correr o risco de guilhotinar os cílios.

Os de plástico são descartáveis, os de metal duram mais e hoje há até os térmicos, que funcionam à pilha e esquentam levemente a borrachinha do aparelho, a fim de intensificar o efeito.

Já testei vários desses térmicos. O único que realmente funciona (ou seja, faz diferença) é o da Panasonic.

Dos comuns, já usei vários. Dos mais fáceis de encontrar e mais baratos, o Prada é o melhor, na minha opinião.

Depois de um tempo, finalmente investi em um Shu Uemura, e abandonei o da Prada.

E ainda… depois de ver centenas de vídeos da Júlia Petit, onde ela usava sempre o mesmo curvex (até ele quebrar, hoje ela usa outro), eu cacei durante meses o tal, até que encontrei na Drogaria Onofre. É o curvex da Basicare (na foto ao lado), com cabo ergonômico. Não custa caro (R$ 17,00 na Drogaria Onofre online – preço sem o frete *) e, sério, é MELHOR que o Shu Uemura (que na brincadeira custa pelo  menos R$ 60,00, no Mercado Livre).

É isso, meninas.

Espero que tenham gostado do post. Se tiverem dúvidas, não hesitem em perguntar. Terei prazer em responder.

Beijinhos a todas e uma ótima semana.

_______________

(*) Preços consultados na data desse post. Podem sofrer alterações.

%d blogueiros gostam disto: