Esmalte: Uva (Colorama)

Olá, meninas, tudo bem?

O esmalte das unhas da semana é o Uva, da Colorama. Esse esmalte está na minha coleção faz tempo e eu nunca tinha usado. Se não fosse por uma coisa que eu queria testar, também, ele provavelmente continuaria na caixa esperando por mim (risos).

Mas… acontece que essa semana chegou um pacote gigante de compras na Vivo Maquiada e junto com ele um kit completinho com todas as cores de pelúcia para as unhas que a Juliana está vendendo na loja.

Eu já usei pelúcia nas unhas aqui, lembram? Mas eu havia comprado o pó de flocagem em outro lugar. Eu sei que tem gente que acha legal e tem gente que odeia, mas eu achei divertidíssimo a primeira vez que eu fiz e sabia que ia acabar repetindo a bagunça.

Algumas cores do kit da Vivo Maquiada são metálicas e eu cismei que queria uma delas. Bati o olho na pelúcia ‘uva metálico’, lembrei do esmalte uva e decidi assim. Primeiro foi a cor da pelúcia e depois a cor do esmalte. 😉

Update 28.12.2012: No momento você encontra dois kits (com cores diferentes) à venda na Vivo Maquiada. Clique aqui para ver as cores e escolher o seu. Cada kit vem com 10 cores e custa R$ 45,00(*).

Primeiro vou mostrar pra vocês o kit de pelúcia para as unhas.

O kit tem 26 cores e é quase impossível não ficar indecisa entre pelo menos meia dúzia delas antes de se decidir. Cada potinho vem com 1g, suficiente para fazer mais de 10 unhas de comprimento médio. Só uma dica: se suas unhas forem muuuito compridas, como geralmente as minhas ficam, eu acho que um potinho só não dá pra fazer as unhas se você optar por cobrir todas as unhas por completo. As minhas não estão super compridas, eu resolvi cortá-las semana passada, e também não quis cobrir todas as unhas de pelúcia. Então foi bem tranquilo e sobrou mais da metade do potinho da cor que eu escolhi.

Enfim… obviamente eu primeiro pintei as unhas com duas camadas do Uva, da Colorama, por cima da Base Preparadora da Cor Colorama.

Depois, fiz unha filha única no dedo anular (cobri toda a unha com pelúcia) e francesinhas nos outros dedos. Usei o adesivo guia de francesinha que também compro na Vivo Maquiada e já mencionei várias vezes aqui no blog. O passo-a-passo é o mesmo que eu usei aqui.

Eu já seeei que tem gente que não gosta… tem até um blog que fala mal de outros blogs e a responsável por ele cansou de mostrar unhas de blogueiras com pelúcia dizendo que parece fungo… mas não importa. Eu corro o risco pela diversão.

Notei que esse pó do kit da Ju é mais fininho, deu um acabamento mais delicado, consequentemente mais bonito, do que a outra que eu já tinha comprado.

Essa cor é uma das metálicas mas na foto foi muito difícil conseguir pegar o brilho dos fios. Então tirei uma foto com as unhas ao sol e ficou um pouco melhor.

Mas quando eu olho para as minhas unhas ‘ao vivo’ aqui e olho no monitor é injusto. É só ao vivo e conforme você mexe os dedos que o brilho aparece.

Para quem gosta da ideia dos pelinhos de pelúcia nas unhas, a Vivo Maquiada tem dois kits com cores diferentes disponíveis. Cada um custa R$ 45,00(*) e você pode ver as cores e comprar o seu clicando aqui.

Eu indico para vocês a Vivo Maquiada porque é uma loja de confiança, da qual sou cliente há bastante tempo, e posso garantir que vocês vão receber todos os produtos direitinho. Mas existem muitos outros vendedores no Mercado Livre vendendo kits para unhas de pelúcia e você pode dar uma olhada em todos os anúncios clicando aqui.

Os adesivos guia de francesinha você encontra aqui.

E se você gostou do Uva, da Colorama, pode clicar aqui para fazer uma pesquisa de preços e comprar o seu na loja virtual de sua preferência.

Espero que tenham gostado. Eu me diverti um bocado fazendo essa nail art.

Beijinhos a todas, um ótimo fim de semana e até semana que vem. 🙂

_________________

(*)  Preço pesquisado na data desse post. Pode sofrer alterações.

Rosácea x Dermatite Perioral: O que eu aprendi com um diagnóstico errado…

Olá, meninas, etraudo bem?

O post de hoje é bem ‘técnico’, eu acho… mas eu decidi escrevê-lo pois passei por hoguns problemas de pele, incluindo um diagnóstico errado, e notei a escassez e controvérsias de informações a respeito na internet. Imagino que outras pessoas com o mesmo problema tenham feito buscas desesperadas por respostas, assim como eu, então acredito que meu ‘depoimento’ possa ajudá-las.

Vamos começar voltando uns 12 anos, para que a situação fique melhor explicada.

Quando eu tinha 21 anos (hoje estou com 33), procurei a ajuda de uma dermatologista pois tinha uma problema sério de acne severa (aquelas espinhas internas, popularmente chamadas de ‘acne cística’), e fui determinada a pedir um tratamento com Roacutan (medicamento da Roche à base de Isotretinoína). Realizei o tratamento durante seis meses, sem grandes problemas (minha única reação ao remédio foi o ressecamento dos lábios) e acabamos descobrindo que o que causava o meu problema com a acne era o excesso de medicação com vitaminas do complexo B (na verdade, a maior parte das pessoas desenvolve esse tipo de acne quando ingere vitaminas do complexo B em excesso e nem sabe). De qualquer forma, o caso já estava avançado e não regrediria sozinho. O meu problema estava relacionado com o uso de Dramin B6.

Terminei o tratamento e minha pele ficou 100%, salvo uma espinha ou outra que eventualmente aparecia no período menstrual, o que é perfeitamente comum.

Há coisa de um ano, mais ou menos, comecei a notar que minha pele da bochecha direita ficava muito avermelhada em determinados períodos do dia, e algumas vezes ficava dias sem a vermelhidão. Cheguei a ir à dermatologista, e ela me disse que eu estava com a pele sensível ao frio (era inverno) e me receitou o uso da pomada Advantan (por no máximo 7 dias) e protetor solar, sempre.

O quadro melhorou por alguns meses mas voltou a aparecer com muita intensidade em Janeiro deste ano, acompanhado de pequenas ‘bolinhas’ na pele, nas regiões do queixo, buço e entre as sobrancelhas. Essas ‘bolinhas’ eram bem parecidas com espinhas, mas não inflamavam internamente, acumulando o pus que sempre acompanha uma espinha ‘comum’. Na época, eu utilizava um ácido formulado, receitado pela dermatologista para diminuição do aparecimento de sinais de expressão (nome bonito pra anti-rugas… risos), que continha um corticóide e notei que, quando eu usava esse ácido as bolinhas sumiam, quando eu deixava de usar, elas voltavam. Mas, por ser corticóide, não é aconselhável o uso deste ácido por longos períodos, e eu fiquei me questionando como poderia parar com o creme se eu ficava com a pele com esse problema sempre que descontinuava o uso.

Bem, lá fui eu consultar uma dermatologista (que não foi a mesma que me receitou Roacutan há anos, porque na ocasião ela atendia o meu convênio e agora ela só atende particular – e a consulta é cara). A médica então me disse que aqueles sintomas eram de rosácea (uma doença de pele sem cura, que tem apenas controle, que os médicos não sabem por que aparece, e que mesmo o tal ‘controle’ é difícil e à base de medicamentos caros que nada mais são que antibióticos. Como não se sabe o que causa a rosácea, não existem medicamentos específicos, e o tratamento se resume ao uso combinado de antibióticos orais e tópicos (para passar diretamente na pele).

Voltei pra casa muito desanimada porque já tinha lido sobre rosácea e sabia que, tendo esse diagnóstico, teria de conviver com crises o resto da vida. É fato que muitas pessoas portadoras da doença sofrem com crises de depressão, pois há dias em que a pele fica tão vermelha e com tantas dessas bolinhas – chamadas de pústulas – que a gente não quer nem se olhar no espelho, quanto mais sair na rua e ver outras pessoas. Principalmente pela falta de informação sobre a doença, as outras pessoas tem receio de ser contagioso, ou olham para você com certo nojo, como se a causa do problema fosse falta de higiene ou algo assim. É realmente horrível e comigo não foi diferente.

A dermatologista então me disse para que eu parasse com o ácido com corticóide e passasse a usar Elidel (uma pomada antibiótica caríssima, que custa em média R$ 250,00 uma bisnaga com 30g) duas vezes ao dia e, apenas durante o dia, aplicasse o protetor solar (eu uso um formulado pela dermatologista – aquela do Roacutan) em seguida e então voltasse 30 dias depois. Para lavar o rosto, apenas Cetaphil Loção.

Foi aí que o meu pesadelo piorou. A pomada é densa e oleosa, obstrui os poros, e eu ganhei pelo menos uma espinha interna gigante por semana. Inflamava e doía, e mal uma tinha ido embora já aparecia outra. Além disso, as pústulas que antes eram bem pequenas e só apareciam no queixo e no buço, tomaram conta de todo o lado direito do meu rosto, que coçava, ardia, e ficava vermelho como um pimentão e cheio dessas ‘pseudo-espinhas’.

Retornei na dermatologista 30 dias depois e ela disse que reduziríamos o uso da Elidel para apenas uma vez ao dia, durante a noite, e durante o dia era para eu passar Effaclair Duo, da La Roche Posay.

Saí do consultório, passei na farmácia e comprei o tal creme.

Chegando em casa, lavei o rosto (pois havia passado protetor solar antes de sair de casa) e lá fui eu passar o Effaclair. Pra que? Era como seu eu tivesse passado álcool e ateado fogo… começou a coçar, ardeu, ficou muito vermelho e, mesmo depois de ter lavado o rosto novamente, para retirar o produto, levou horas até que a pele acalmasse (com a ajuda de caros mls de água termal).

No dia seguinte, marquei novamente consulta com a dermatologista, para a mesma semana.

Expliquei a situação e ela disse que então testaríamos o Normaderm, da Vichy. “Lá vamos nós com mais dinheiro jogado fora”, pensei eu. Mas por sorte ela tinha amostras grátis do Normaderm e me arrumou algumas para que eu nāo tivesse que comprar de novo e a minha pele não se adaptar.

Mais uma vez, fui pra casa, lavei o rosto, e passei o Normaderm como indicado. Dez minutos depois, a mesma reação do Effaclair.

Desisti desses creminhos e passei a aplicar a Elidel à noite e o protetor solar durante o dia e retornei à médica um mês depois.

Meu rosto melhorou e piorou várias vezes durante esse período, sem que eu entendesse e sem explicações da médica que, ao saber da reação negativa da minha pele ao Normaderm apenas me disse que eu teria que ‘continuar usando Elidel, e SÓ Elidel, até que minha pele deixasse de ter essas reações espontâneas’. Mais decepcionada que nunca, voltei pra casa decidida a procurar a outra dermatologista (a que eu citei no início deste post, responsável pelo meu tratamento com Roacutan), mesmo tendo de arcar com o valor salgado da consulta.

Chegando lá, expliquei toda a saga, dos sintomas iniciais, ao tratamento com Elidel e as crises recorrentes.

Ela achou muito o estranho o diagnóstico e partiu para uma observação mais detalhada, com aquelas lentes com iluminação que os dermatologistas usam para avaliar a situação e diagnosticou não rosácea, mas dermatite perioral, que leva esse nome por geralmente se concentrar na região em torno da boca mas que, sem tratamento, pode atingir todo o rosto. O que era quase o meu caso, pois todo o lado direito do meu rosto estava tomado pela inflamação.

(Update 23.Junho.2015: essa médica em questão não trabalha mais na área médica. Está atuando em outra área e não tem intenção de retornar à medicina. Não tenho outro médico dermatologista para indicar mas muitos foram citados por leitores nos comentários neste post. Caso queira indicações de médicos, por favor, pesquise nos comentários.)

E então partimos para o tratamento correto, com antibiótico oral (Tetralysal 500mg, um comprimido por dia, durante 3 meses), e dois produtos formulados, um sabonete líquido com sulfacetamida sódica e enxofre e um antibiótico tópico (para passar diretamente no rosto) com clindamicina, metronidazol, hidrocortisona e alfadisabolol. Todos esses medicamentos só são vendidos ou formulados com receita médica. Então, se você tem esse problema e gostaria de fazer o tratamento, precisa conversar com um bom dermatologista para que ele avalie o seu caso e te passe uma prescrição.

O antibiótico tópico contém, sim, corticoide, mas ele estava lá em baixa concentração e por um motivo: como eu havia usado corticoide durante muito tempo, a minha pele precisava passar por uma espécie de ‘desmame’ dessa substância. Assim, esse medicamento foi feito uma única vez, para ser usado até que acabasse, com corticoide em baixa concentração, para que então a minha pele pudesse voltar a ficar sadia sem o uso desse tipo de componente.

Ela também me orientou sobre produtos que geralmente causam esse tipo de dermatite, e os mais comuns são a pasta de dentes e esmaltes para as unhas.

Sobre os esmaltes para as unhas, expliquei a ela que eu sempre tinha usado toda e qualquer marca, desde os doze anos, quando comecei a fazer as unhas em casa, e nunca havia tido problemas e então veio a surpresa… Você pode ter usado o produto que for durante toda a sua vida e, de repente, passar a ter alergia. O organismo pode desenvolver uma alergia no decorrer dos anos, sem que você perceba.

E assim, eu excluí da minha vida todo e qualquer esmalte que não seja pelo menos 3free (3free é o termo utilizado para esmaltes livres de 3 substâncias prejudiciais e causadoras de alergia: tolueno, formaldeído (ou formol) e dybutil).

No meu caso houve outra questão… eu havia mudado a minha pasta de dentes há algum tempo, e quando puxei pela memória, notei que o problema havia começado justamente na época em que fiz a troca. Pesquisando sobre isso na internet, descobri até comunidades de pessoas com alergia à mesma pasta, cujo nome não vou citar, já que outras pessoas tiveram problemas judiciais com a marca depois de citá-la na Internet como fonte de alergia. O pessoal que teve problemas diz apenas ‘a pasta de dentes da embalagem azul’. É uma marca muito conceituada, que faz de fio dental a enxaguatório bucal. O resultado para os dentes pra mim foi ótimo, mas prejudicou a minha pele. Deixei de usá-la e voltei para a Close Up Whitening, que eu usava antes do problema aparecer.

O tratamento durou três meses, e embora a dermatite tenha sido curada, minha pele mudou radicalmente. Passou de mista para seca e sensível. Assim, alguns hábitos meus e produtos que eu usava tiveram que ser modificados. Os cremes que passo no rosto são formulados ou para pele extremamente sensível (Avene, Clinique ou a linha Toleriane da La Roche Posay), os esmaltes, como eu disse, pelo menos 3free, protetor solar, apenas físico, nunca químico.

Ou seja, é algo bem delicado e que varia muito de pessoa pra pessoa. Por isso é muito importante um diagnóstico correto e uma longa conversa com um bom dermatologista. Só um bom profissional pode ajudar a diagnosticar corretamente e prescrever o melhor tratamento para o seu caso.

Se você tiver alguma dúvida, fique à vontade para perguntar. Relembrando que eu não sou médica, mas se a sua questão for sobre sintomas ou efeitos colaterais do meu tratamento, por exemplo, podemos trocar experiências.

Quem já passou por esse problema, ou ainda passa, ou até mesmo sofre de rosácea, sabe que é uma causa de depressão quase constante, principalmente para quem tem o mínimo de vaidade, e não há muito espaço pra conversar sobre o assunto, nem mesmo na internet. Procurei por vários logo que fui diagnosticada erroneamente como portadora de rosácea e só encontrei fóruns muito antigos, sem informações atualizadas.

É isso, meninas. Desculpem o post enorme e só com “blá-blá-blá”, mas eu acho que informação nunca é demais.

Beijocas a todas e até amanhã com as unhas da semana. 😉

Esmalte: London Night Blue (O Boticário)

Oi, meninas, tudo bem?

Nail art dessa semana é bem de preguiçosa (risos). A questão não foi bem preguiça… vou explicar. Eu sou gamer. Louca por Playstation 3. Fascinada. Alucinada. Doidoda mesmo. E essa semana saiu um dos jogos que eu aguardava esse ano, que é o Darksiders II. Obviamente, eu vou pegar o jogo hoje e, claro, vou colocar o bumbum na frente da tv e não vou sair de lá tão cedo. E o fim de semana com certeza vai ser assim… eu e meu namorado, plantados na frente da tv, jogando Darksiders II até o sono nos vencer (o que, em época de jogo novo, demora a acontecer).

Logo… eu queria dar um jeitinho rápido nas unhas e para isso escolhi o London Night Blue, d’O Boticário, que é um azul escuro muito lindo.

Semana passada, eu usei o Magnífica, da Ludurana, lembram? Pois então… ele descascou super rápido das minhas unhas, até fiz update lá no post. Soma-se a isso o fato de que eu precisava cortar as minhas unhas, que chegaram de novo no estágio ‘não consigo mais digitar com agilidade’.

O que eu fiz foi cortar as unhas, lixar e, antes de qualquer coisa, ‘gastar’ o esmalte das pontas com um algodão e removedor. Por que? Porque se você corta as unhas quando elas estão esmaltadas, a camada do esmalte na ponta da unha está bem grossa, o que facilita ainda mais para continuar descascando. O truque é molhar o algodão com removedor de esmaltes, encostar a ponta da unha perpendicularmente ao algodão, e ‘esfregar’ o dedo ali. O algodão vai retirar só o esmalte da ponta, e ‘gastar’ o esmalte um pouco acima. Assim, a camada vai sumindo num degradé, e seu esmalte vai durar um pouquinho mais… 😉 Fica assim:

Depois disso, passei uma camadinha do Magnifica, o mesmo esmalte da semana passada, claro. Só uma mesmo, para dar um up na cor, já que ele estava meio ‘desbotadinho’ e sem brilho depois de uma semana.

Esperei secar bem e colei as guias de francesinha que compro na Vivo Maquiada.

Depois, passei uma camada do London Night Blue, d’O Boticário, nas pontas. Tirei o adesivo com o esmalte ainda úmido e… ta-dããã! 😀

O London Nigh Blue é um azul marinho lindíssimo. Meio cintilante (que nas fotos é difícil de ver), mas é uma cintilância diferente, não sei explicar. Achei lindo! E olha que eu não sou fã de esmalte cintilante…

Esse truque funciona melhor se o seu esmalte de base for fininho e o esmalte que usar das pontas for mais grosso. Se o seu esmalte de base for muito grosso, quando vc passar outra camada vai virar um ‘reboco’ e demorar pra secar. E se seu esmalte das pontinhas for muito fininho, ele não vai cobrir as unhas, já que a gente tirou o esmalte das pontas com o removedor, certo? 😉

Por cima de tudo, uma camadinha da Cobertura Intensificadora da Cor, da Colorama, só para igualar o brilho, porque esses esmaltes d’O Boticário tem um brilho incrível, quase de vinil (quem não viu quando eu usei o Urban Gray, clique aqui).

Quem gostou do Magnífica, da Ludurana, pode clicar aqui para pesquisar os preços e comprar na loja virtual de sua preferência.

O esmalte d’O Boticário você pode comprar em qualquer loja da rede, ou pela loja virtual (que está com ele em promoção de R$ 9,99 por R$ 6,99 (*)), lembrando que os esmaltes d’O Boticário são 3free, a qualidade é espetacular e eu acho que vale cada centavo. Com desconto então, nem digo nada.

E quem quiser a Cobertura Intensificadora da Cor, da Colorama, pode clicar aqui pra pesquisar também.

Os adesivos de guia, como eu falei, compro na Vivo Maquiada, é super baratinho, custa R$ 9,99 (*) duas cartela, e você pode comprá-los aqui.

É isso, meninas! Espero que tenham gostado da minha nail art de preguiçosa (risos).

Um lindo fim de semana para todas e até segunda-feira! 😉

Beijocas.

_________________

(*)  Preço pesquisado na data desse post. Pode sofrer alterações.

Testei: Base Preparadora da Cor Colorama

Olá, meninas, tudo bem?

Sempre que eu testo um produto e formo minha opinião, eu procuro a opinião de outras blogueiras sobre o mesmo produto. Assim eu posso dizer o que eu achei e mais ou menos o que li de outras opiniões.

Acho que nenhum produto é unânime… o que funciona muito bem para mim pode não funcionar tão bem para você e vice-versa.

Produtos para unhas e cabelos costumam ser os maiores geradores de ‘discórdia’.

Essa Base Preparadora da Cor da Colorama, pelo que vi por aí, não foge à regra. Há quem ame e quem odeie. Mas acho que eu fui a única que ficou no meio termo.

Há mais ou menos um mês, comentei aqui que o meu fixador de esmalte da Avon estava no fim e eu estava testando pela primeira vez essa Base Preparadora da Colorama.

Eu não comentei nada na mesma semana porque eu tinha usado os adesivos da Sindy junto dos esmaltes. E os adesivos dão uma super segurada no esmalte por mais tempo. Como são colados na pontinha da unha, justamente onde o esmalte descasca, ele funciona como um ‘durex’. Resultado: minha unha durou um monte de qualquer jeito, então não dava pra dizer se era por causa da Base Preparadora da Cor ou não.

Depois disso, fui fazendo testes com marcas de esmaltes diferentes, deixei os dedos indicador e médio sem a base, e passei a base nos dedos anular e mindinho. Como também estavam sem adesivo, deu para fazer uma comparação justa.

Assim que você passa essa base nas unhas, você percebe que ela não deixa as unhas tão brilhantes como a maior parte das bases. O efeito é de meio-brilho. Depois de seca, se você passar a ponta do dedo por cima das unhas que já estão com o produto, vai perceber uma sensação ligeiramente ‘áspera’, como se a base criasse ‘microporos’ para o esmalte aderir melhor.

Bem… nenhum esmalte costuma durar intacto mais do que quatro dias nas minhas unhas. E essa base da Colorama não fez diferença nenhuma. No quarto dia, já tinha lascadinhos nas unhas. Tanto nas com base quanto nas sem base.

Para mim ela não foi ‘horrível’ como vi muitas meninas reclamarem, que fez o esmalte descascar no mesmo dia, como de fosse uma película plástica. Mas também não cumpriu o prometido, já que na embalagem está escrito ‘ultra duração do esmalte’.

Assim, para mim fica com duas estrelinhas. Não cumpre o prometido, mas não é um fiasco total, é apenas uma base ‘comum’.

Avaliação:

Se você quiser fazer um tira-teima, pode clicar aqui para pesquisar preços e comprar na loja virtual de sua preferência.

E vocês? Já usaram? Como foi a experiência? Deixe nos comentários. 🙂

Esmalte: Fascinante (Ludurana)

Oi, pessoal, tudo bem? 🙂

As unhas da semana não tem nail art (pasmem! risos). É que eu tive um compromisso no final da tarde de ontem e acabei optando por algo que desse menos trabalho pra fazer. Maaas… nada de esmalte comum. 🙂

Já faz algum tempo que comprei alguns esmaltes da Ludurana (marca muito especial, que faz esmaltes lindos e diferentes 3free) mas sempre ficava inventando moda com as nail art e não testava.

Para quem não sabe, vou explicar de novo o que significa 3free. 3free é a denominação dada a esmaltes livres de 3 substâncias causadoras de alergia e prejudiciais à saúde: Tolueno, Formol (ou formaldeído), e Dibutyl. Esmaltes 3free são difíceis de encontrar na indústria brasileira… os da Colorama são 3free, mas eles não tem na linha esmaltes duochrome, craquelados, holográficos… já a Ludurana é uma querida e faz todos os seus esmaltes (dos cremosos comuns aos mais extravagantes) sem esses componentes chatos.

Eu comprei vários… mas o primeiro escolhido foi um duochrome que faz parte da Coleção Aurora Boreal e vai do dourado ao bronze, ou do vermelho ao amarelo – como vocês acharem melhor, e leva o nome de Fascinante.

A beleza desse esmalte faz juz ao nome. Captar as inúmeras nuances de cores com uma câmera fotográfica é tarefa difícil e o resultado chega a ser injusto. Ao vivo, dá pra ver nas unhas de um dourado muito intenso, até esverdeado, até um bronze quase magenta. É lindo.

As minhas primeiras tentativas não foram 100%…

Mas depois eu peguei um ângulo e uma iluminação perfeitas e o resultado ficou incrível.

Incrível, não?

Geralmente recomenda-se usar um esmalte escuro como base para esmaltes duochromes como o Fascinante. Mas eu não quis e usei o esmalte sozinho. Nas fotos está com 3 camadas, mas com 2 já tinha coberto bem. Porém, se você olhar as unhas contra a luz, vê algumas falhas (mas só mesmo contra a luz… dá pra perceber a luminosidade passando por alguns pedacinhos, sabem?). Nas próximas vezes, vou usar um esmalte escuro de base e volto para mostrar (provavelmente com outra cor, para vocês conhecerem também).

Não usei topcoat. Não fez bolinha e secou bem rapidinho. No final da próxima semana volto aqui mesmo pra falar sobre a durabilidade. 🙂

Update 08.08.2012: Achei muito boa a durabilidade desse esmalte. Eu fiz as unhas na quarta-feira, dia 01.08, e só começou a lascar na segunda, dia 06.08, ou seja, cinco dias depois, e eu estava usando a base da Colorama, que não fez diferença na fixação dos esmaltes que testei.

Só não acho o preço um dos melhores do mercado… Não custa o velho R$ 2,00 de um Colorama, mas a gente tem que levar em conta que é um esmalte com efeito muito diferente e lindo, e 3free… A média de preço é de R$ 17,00, mas dependendo da cor que você quiser (algumas esgotaram e estão super difíceis de achar), o preço pode ser um pouquinho mais salgado que isso. De uma forma ou de outra, eu acho que vale muito a pena.

E o esmalte é perfumado. Mas, embora o cheiro no frasco seja bem intenso, fica mais suave nas unhas e tende a ir desaparecendo com o passar dos dias. Não achei que incomoda, de forma alguma. No primeiro dia fiquei só meio ‘perdida’ porque sentia um cheirinho bom e não sabia de onde estava vindo, até lembrar do esmalte… risos.

E vocês? O que acharam do efeito?

Eu estou apaixonada… quero sair comprando todos os esmaltes da marca. É tão gostoso usar esmaltes diferentes e saber que não vou ter problemas com a alergia… 😀

Se você gostou e quer algum dessa coleção, clique aqui pra pesquisar preços em lojas virtuais e comprar o seu.

Beijinhos a todas, um ótimo fim de semana, e até semana que vem!

Francesinha Invertida: Fagulha + Black Lingerie

Olá, meninas, tudo bem?

Semana passada eu tive que mudar a minha nail art das unhas da semana de última hora porque a minha ideia inicial não funcionou.

Eu cismei que queria francesinha invertida, usando laranja e preto, com o laranja na parte próxima à cutícula e preto no restante. Então eu tinha pintado a unha toda de preto, usando o Black Lingerie, da Revlon, colado a guia de francesinha e pintado a parte laranja com o Fagulha, da Colorama, por cima.

Resultado: o Fagulha não conseguiu cobrir o Black Lingerie e pra melhorar a situação, quando arranquei a guia de francesinha, o Black Lingerie veio todinho junto do adesivo. Fiquei com uma meia lua laranja, depois uma faixa sem nenhum esmalte (onde estava colado o adesivo) e depois vinha o preto. Respirei fundo, pintei de preto de novo e usei os flocados para fazer o post para o blog.

Essa semana inverti a ordem das coisas. Primeiro, uma camada de Base Preparadora da Cor, da Colorama.

Depois, pintei tudo com o Fagulha, da Colorama (duas camadas):

Depois, colei as guias de francesinha que eu comprei com a Ju, do Vivo Maquiada (clique aqui para ver os adesivos e comprar os seus).

Ignorem a unha do indicador que já está com o esmalte preto (eu tinha esquecido de tirar foto só com os adesivos).

Depois passei o Black Lingerie (uma camada) na parte da unha que ficou abaixo do adesivo. O ideal é passar a camada e tirar o adesivo com o esmalte ainda úmido. Assim o contorno fica mais perfeito.

Depois, foi só passar uma camada de Cobertura Intensificadora da Cor da Colorama.

Eu estou querendo fazer outras combinações de cores nesse modelo. E vocês, gostaram?

Para quem gostou do Fagulha da Colorama, é só clicar aqui para fazer uma pesquisa de preços e comprar o seu em uma loja virtual.

E para quem gosta mais do Black Lingerie, clique aqui.

É isso aí, meninas. Um ótimo fim de semana para todas e até semana que vem!

Beijinhos.

Esmaltes: Flocados 3Free

Oi, meninas, tudo bem?

Antes de tudo, uma observação. As unhas da semana de hoje não eram para ser como estão. Esse foi um plano B. A minha ideia inicial não deu muito certo, porque eu misturei esmaltes de marcas diferentes (Revlon e Colorama) e eles não se ‘entenderam’ (risos). Logo, o meu plano para hoje foi adiado para semana que vem, quando tentarei novamente, invertendo as ordens, para ver se dá certo. Se der, as apaixonadas por nail art como eu vão adorar. Se não, eu aborto a ideia e conto para vocês o que era, ok? 🙂

Agora vamos ao post propriamente dito.

De algum tempo pra cá, eu acabei desenvolvendo alguns tipos de alergia (dermatites) complicadas. Esse assunto ainda será tratado minunciosamente em um outro post, que estou preparando há alguns meses, mas em suma, eu tive que deixar de usar vários produtos que adorava. De uma marca específica de pasta de dentes a esmaltes.

O que mais me ‘abalou’ foi a questão do esmalte, por conta do blog e porque eu realmente gosto de esmaltes diferentes. Quem tem problema com alergia a esmaltes sabe que a grande maioria dos esmaltes 3Free (sem tolueno, formaldeído ou dibutyl) e/ou antialérgico é tudo sem graça. Quero dizer… você normalmente só encontra cores ‘básicas’, esmaltes cremosos, algumas bases e pronto. Fiquei me imaginando sem um duochrome, um flocado, um holográfico, craquelados… e quase surtei.

Com alguma paciência, muita pesquisa, e a ajuda da minha amiga Lilian (aquela da Stock Multimídia, que vende paletinhas importadas e é parceira aqui do NM), descobrimos algumas marcas 3Free e alguns esmaltes da própria Colorama (que excluiu esses componentes da fórmula de seus produtos desde 2006) que tinham esses acabamentos. Fiquei super feliz e comprei vários em uma tacada só. Mas mal tinha conseguido usar.

Peguei então dois flocados iguais (flocos que mudam de cor entre o verde, passando pelo amarelo e vermelho, até o bronze) para fazer uma comparação. Um é o Sol, da Ludurana (3Free) e o outro o Odalisca, da Colorama (também 3Free). Lembrando só que esmaltes 3Free não são totalmente antialérgicos, mas na maior parte das vezes, o que causa alergia em relação aos esmaltes são esses componentes: tolueno, formaldeído e dibutyl. Logo, se são 3Free, a chance de dar alergia é bem menor, mas não totalmente excluída. No meu caso, o uso de esmaltes 3Free resolveu o problema (aliado a outras coisas que contarei no post específico sobre dermatite).

Todo flocado precisa de um bom esmalte de base. Quanto mais escura a cor, mais bonito e aparente fica o efeito. Então, primeiro eu usei duas camadas fininhas do Black Lingerie, da Revlon (3Free). Esmalte preto pretinho.

E depois eu usei o Odalisca no indicador e no anular, e o Sol no dedo médio e no mindinho. Assim, lado a lado, fica mais fácil a comparação. Não se assustem com a cor laranja rosada do Odalisca. Não interfere em nada no esmalte e quando você passa na unha essa cor de ‘base’ desaparece.

Achei que o da Colorama ganha de 10 a 0 em relação ao da Ludurana. Explico:

  1. O Odalisca tem muito mais floquinhos, logo, uma única camada já dá resultado. Duas camadas do Sol ainda não dá o mesmo resultado.
  2. Os floquinhos do Odalisca são mais holográficos, você consegue ver a transição do verde até o bronze em toda a unha, em qualquer posição. No Sol, você praticamente só vê o bronze e o vermelho. Para visualizar o amarelo e o verde, só colocando em iluminação direta (artificial ou natural) e olhando bem de pertinho.

Que tal uma olhadinha melhor com mais iluminação natural?

(Observação: não reparem no monte de ‘risquinhos’ nas unhas, não é dos esmaltes e sim as sombras da cortina do meu quarto que refletiu nos esmaltes.)

O da Ludurana diz que tem secagem rápida. Mas os dois secaram rapidamente. Só que se você gosta do efeito com bastante floquinhos, vai ter que passar mais camadas do Sol, logo, vai demorar mais pra secar.

O que eu gostei dos dois é que eles não tem o acabamento meio fosco de outros flocados que eu já usei, como o Fantine, que eu já mostrei aqui ou o Sheila, aqui, ambos da Sancion Angel (os esmaltes da Sancion Angel não são 3Free). Você passa por cima do esmalte preto, e as unhas continuam brilhando. Não precisa de top coat.

Para chegar na quantidade de floquinhos do Odalisca, o Sol precisou de 3 camadas.

Gostaram de algum? Então, clique aqui para pesquisar o preço do Odalisca, da Colorama (que faz parte da Coleção Rode a Baiana, é Carnaval!), ou aqui para pesquisar o Sol, da Ludurana. 🙂

E para o Black Lingerie da Revlon, clique aqui.

Espero que tenham gostado das unhas da semana plano B! 😉

Um ótimo fim de semana para todas e até segunda!

Beijinhos.

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes

%d blogueiros gostam disto: